PRIMAVERA VERÃO

Minas Trend

13 de Janeiro

Cerrad’Ouro conquista o mercado mundial da moda

Microempresa mineira ganha projeção ao investir em design e na revitalização da marca de biojoias exclusivas inspiradas no Cerrado mineiro.

A lembrança de um presente especial recebido na adolescência mudou os rumos da história da empresária Cláudia Santana Lima, 56 anos, sócia da Cerrad’Ouro, microempresa do ramo de biojoias com sede em Lagoa Santa, a 39 quilômetros da capital mineira. A memória afetiva de um brinco em formato de folha e banhado a ouro foi o ponto de partida para uma reviravolta na história desta empresária que começou sua trajetória empreendedora fazendo bijuterias para complementar a renda familiar.  

As primeiras pulseiras criadas por Cláudia, quando ainda trabalhava como professora do ensino fundamental, foram um sucesso e renderam a ela um convite para expor em uma feira tradicional em Lagoa Santa. De expositora, Cláudia assumiu a direção operacional do evento. Apesar de vender bem, seus produtos não davam um bom retorno financeiro.

Foi quando ela observou que, de um modo geral, os produtos comercializados na feira tinham pouco valor agregado e que os artesãos precisavam se qualificar para melhorar a qualidade das peças.

Em 2011, Claudia buscou ajuda para os artesãos no Sebrae Minas. No Programa Sebrae de Artesanato (PSA) eles aprenderam sobre designgestão financeira e técnicas de vendas. As consultorias do programa incentivaram a artesã a repensar sua produção e a buscar diferenciais de identidade e design. Na época, o marido de Cláudia, Euler Lima, trabalhava com medicina chinesa e a filha do casal, Gabriela Lima, com 17 anos, cursava odontologia.  

Da lembrança do brinco da adolescência veio o insight para investir no mercado de biojoias. Claudia, o marido e a filha começaram a pesquisar sobre a produção das peças e buscaram mais capacitações. Depois de fazer cursos e comprar os maquinários, Claudia e Gabriela ficaram responsáveis pelo desenho dos produtos e Euler assumiu a produção. Assim, em 2013, nascia a Cerrad’Ouro, que cinco anos depois se projetaria no mercado internacional da moda.     Gabriela deixou o curso de Odontologia e foi fazer Design. Euler se especializou em Biologia para conhecer melhor os recursos com os quais passariam a trabalhar. Claudia também fez outras capacitações do Sebrae em gestão, marketing e finanças, mas o divisor de águas da Cerrad’Ouro, segundo a empresária, foi o Empretec, que mudou seu comportamento empreendedor e a ajudou a ter uma visão de onde queria chegar.

Outro marco decisivo para os negócios da Cerrad’Ouro, de acordo com Cláudia, foram as consultorias de design e branding oferecidas pelo Sebraetec, no Projeto Identidade Joias, Bijuterias e Folhados. “Nosso produto mudou, ficou mais sofisticado e competitivo”, afirma.  

Frutos, flores e sementes do Cerrado mineiro são alguns materiais utilizados na composição das peças. Os materiais são metalizados, banhados em cobre e em ouro e se transformam em brincos, colares, pulseiras, anéis e pingentes. “Com a orientação que recebemos no projeto, nosso produto ficou mais delicado, com mais cara de joia”, destaca Cláudia.   Em 2019, a Cerrad’Ouro foi uma das seis empresas brasileiras convidadas para expor na Tranoi Paris, um dos mais renomados eventos de moda do mundo, realizado durante a Paris Fashion Week. O evento parisiense não foi o primeiro flerte da Cerrad’Ouro com o mercado da moda internacional. A empresa já estampou cinco edições da Vogue Londres – em busca de joias extraordinárias, a revista chegou até a marca via redes sociais – e participou de um showroom em Milão.  

Agora, a Cerrad’Ouro está investindo em um novo nicho de mercado: o de decoração. Fizemos várias consultorias financeiras e de marketing com o Sebrae e decidimos diversificar nosso mix de produtos”, afirma Cláudia. A primeira peça para a composição de ambientes foi lançada no ano passado e compôs a edição digital 2020 do Catálogo de Artesanato Minas Gerais, do Sebrae Minas.
No Inspiramais, lançou uma peça curinga: o max colar. “Ela é ao mesmo tempo um item de decoração e um acessório de festa”, explica a empresária, confiante nos novos rumos do negócio.  

Fonte: SEBRAE

ver todas noticias